Polícia prende ex-militar que faz parte de quadrilha envolvida em tiroteio na BR-324

Um suspeito de fazer parte da quadrilha que trocou tiros com policiais na noite da quarta-feira (13) na BR-324, região de Simões Filho, foi preso nesta quinta-feira (14) em Lauro de Freitas por policiais da força-tarefa da Secretaria da Segurança Pública e do setor de inteligência da 52ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM).

Nadson Jorge Silva Alves é ex-militar das Forças Armadas e era responsável pela manutenção do armamento da quadrilha e de treinar integrantes do bando.

RTEmagicC_buscas324.jpg

Quatro pessoas morreram no confronto entre policiais e bandidos, incluindo a faxineira Maria de Fátima Ricardo Senna, que voltava para Cruz das Almas em um carro da prefeitura e foi atingida por uma das balas.

Segundo a Polícia Civil, Nadson era companheiro da mulher que participou do confronto policial. Ele foi preso em casa e é ouvido no Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco). A polícia continua na busca por outros suspeitos, que fazem parte de uma quadrilha especializada que tentou assaltar um banco em Guarajuba.

Na noite de ontem, houve confronto em um matagal na região de Simões Filho, e três bandidos foram mortos. Com a quadrilha foram apreendidos explosivos, um fuzil calibre 762, uma submetralhadora, uma pistola, calibre 40, farta munição, além de três veículos.

Cães farejadores do Batalhão de Choque da PM estão sendo utilizados nas buscas dos demais integrantes do grupo. A polícia estima que oito bandidos ainda estão foragidos.

Dos três bandidos mortos, dois já foram identificados – Adriana dos Santos Silva, cujo corpo está no Instituto Médico Legal de Salvador, e Adeilton Gouveia da Silva, 29, enterrado em Camaçari hoje à tarde. O outro homem permanece sem identificação.

O corpo de Maria de Fátima Ricardo Senna, atingida por um disparo de arma de fogo durante o confronto, será periciado pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT), que irá esclarecer a causa da morte. As armas apreendidas com os criminosos, bem como as das guarnições policiais envolvidas, também serão analisados pelo DPT.

(Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO)

(Foto: Mauro Akin Nassor/CORREIO)

 

Fonte: Correio 24 horas

About the Author

Deixe seu comentário para essa notícia

portalsisal