Indústria da reciclagem poderá gerar até 150 empregos em Araci, afirma especialista

Alguns dos problemas históricos do município começam a ter possíveis soluções apresentadas nesse fim de ano pela Prefeitura de Araci. Primeiro, a questão ambiental começa a ser trabalhada com a implantação da coleta seletiva e o desenvolvimento do plano municipal de resíduos sólidos. A segunda é a questão da geração de emprego e renda, problema crônico  do município e que agora começa a ter, na reciclagem do lixo, a esperança de transformar a realidade de muitas famílias em Araci.

Segundo o especialista em empreendimentos ambientais e idealizador do “Projeto Coocar”, Esaú Silva, a indústria de reciclagem que está sendo implantada em Araci poderá gerar até 150 empregos diretos, todos com remuneração superior a um salário mínimo, equivalendo assim a uma indústria de médio porte, como poucas na região.

Segundo o mesmo, o projeto irá iniciar no dia 24 de dezembro, já com uma quantidade entre 10 e 20 trabalhadores e espera, em mais ou menos 3 meses, poder dobrar esse número e continuar crescendo até o fim do próximo ano. Assim, em alguns meses, a indústria da reciclagem em Araci já deverá ser o maior empregador do município, depois da prefeitura.“A indústria será administrada pela Cooperativa de Catadores de Araci e nós daremos total apoio ao funcionamento e desenvolvimento da mesma. Os cooperados não serão empregados tradicionais, mas sim, cooperados desse empreendimento e todos receberão, no mínimo, um salário mínimo. Atualmente, o foco do projeto é retirar os catadores do aterro sanitário e dar condições dignas para que eles continuem esse trabalho da maneira correta, coletando através da Cooperativa e vendendo os materiais recicláveis a um preço que esteja em acordo com o mercado, ou seja, sem atravessadores. Num segundo momento, ao passo que a Cooperativa for crescendo, mais pessoas serão admitidas ao serviço, podendo chegar, pelos cálculos que já fizemos, a até 150 pessoas trabalhando na indústria da reciclagem que estamos implantando.” Disse o especialista.

O projeto tem total apoio da Prefeitura de Araci, em um trabalho conjunto das secretarias de Assistência Social, Agricultura e Meio Ambiente, Relações Institucionais e Educação. A Assistência Social, em especial, já tem acompanhado os catadores há meses e hoje possui um cadastro com aproximadamente 100 famílias que estão envolvidas com a catação do lixo em Araci e que serão prioridade para participarem do projeto.

Fonte: Portal Folha

About the Author

Deixe seu comentário para essa notícia

portalsisal